Rss Feed



  1. Três anos...Deu para aprender e desaprender muita coisa! Gastamos muita tinta, afiamos a ponta do lápis incontáveis vezes, malhamos os neurônios e ditamos muitas histórias para o cérebro eletrônico. Claro, faltam gordurinhas textuais para queimar: adjetivos fora de lugar, frases longas, os temíveis “ques” aqui e acolá...ufa! Driblar as ciladas da língua requer dedicação e muita edição. Entediante não é. A lapidação de um texto é uma montanha russa. Diante de um tema, ora nos descabelamos,  ora nos entorpecermos. Também nos embriagamos de excesso de criatividade e... botamos o texto a perder. Não é fácil aliar senso crítico e chama criativa. Mas, às vezes, a gente acerta. E olha o texto lá! Todo posudo caminhando com as próprias pernas.
    É muita diversão!  A razão do cabeçalho em destaque. Brincando de escrever é como nos sentimos.
    Vida longa à  nossa brincadeira!
    E, você, aí do outro lado da tela, fique de olho, pois ao longo do ano traremos novidades do balacobaco! 

    Feliz aniversário, IL!

  2. 5 comentários:

    1. Cris disse...

      Palavras perfeitas!!!

      Feliz Aniversáril IL.

      Meninas, queridas Amigas amo vocês.

      Bjs

    2. Aline disse...

      Parabéns meninas!
      Essa iniciativa maravilhosa é motivo só de festa e alegria para nós, prazeirosas em desfrutar da produção literária de vocês.

      Lindo layout!

      Beijos a todas!

    3. disse...

      Parabéns para todos que nos prestigiam e para vocês amigas de jornada.

      Abs, Rê

    4. Lyani disse...

      Como sempre arrasando no texto né Vivi?

      Parabéns para nós e que essa brincadeira seja "eterna enquanto dure" :)

      Ly

    5. The Book Thief tem como narradora a Morte, cuja função é recolher a alma de todos aqueles que morrem sem intervalos. Durante a sua passagem pela Alemanha, na Segunda Guerra Mundial, ela encontra a protagonista, Liesel Meminger, em uma estação de trem enquanto o irmão mais novo da última é enterrado próximo ao local. A garota, ao perceber que o coveiro presente deixou um livro, O manual do coveiro, cair na neve, rouba ele e é levada, então, até a cidade fictícia Molching, onde a sua mãe pretende entregá-la a uma família para que adotem ela. Na Rua Himmel, reside o casal de classe trabalhista formado por Hans e Rosa Hubberman. Lá, ela convive com os novos responsáveis e vai à escola, assim como faz amizade com o vizinho Rudy Steiner.
      Ao longo dos quatro anos que viveu com os Hubberman, roubou diversos livros e aprendeu lições com eles. Eles acolheram um judeu, Max, para poder ajudá-lo, devido à uma antiga promessa feita por Hans Hubbermann, à sua mãe. Hans Hubbermann tenta ajudar outro judeu durante uma caminhada e é advertido pelo soldado alemão que o agride. Hans, então, pede para que Max vá embora, pois os soldados viriam atrás dele e então o pegariam.
      Um bombardeio na vizinhança fez com que Liesel fosse a única sobrevivente, tendo no final encontrado Max, também seu amigo.
      Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo (spoilers).
      Parabéns -
      Cabral - Poeta