Rss Feed
  1. Colheita

    24/04/2011

    Ou tono tom

    Ou tono tem

    Verde brilhante

    Folha amarela

    Ou tom de despedida

    Do verão que foi indo

    Sem querer sair

    Ou tom de anunciação

    Da gélida aurora

    Que está por vir

    Ao sair o sol

    Aqueça o coração

    Do frio que paralisa e petrifica as emoções

    Para pulsar ao som

    Da sinfonia da vida

    Época de colher o que foi plantado

    Nos campos da existência

    Já não é necessária tanta pressa

    Importa viver


  2. 4 comentários:

    1. Vivi disse...

      Abundante colheita no campo da existência. Apesar das circunstância, da frialdade dos dias, o nosso outono bem disposto dará o tom...ótima perspectiva lançaste sobre o tema. Belo!

    2. Lyani disse...

      Rê,
      Que lindo poema! E bastante outonal... Eu também sinto como se no outono tudo fosse mais calmo, sem pressa, bonito!
      Parabéns!
      Bjos

    3. Medéia disse...

      Eu simplesmente A-M-E-I.
      Eu senti o outono em cada palavra deste velo poema.
      Lindo, Rê!

    4. Cris disse...



      Qual a marca da água que vocês consomem? Quero também...quem sabe desenvolvo também esse talento de família.
      Você e Vivi são geniais, haja criatividade!
      Suas palavras transmitiram muita calma, um período de espera e reflexão. Bem outonal!

      Parabéns! Adorei.

      Bjs