Rss Feed
  1. Cadeira de Balanço

    17/08/2008

    por Medéia

    Crédito da Foto: Christian H. Mendes
    As minhas rugas falam por mim.
    Não sou menina e já sou mais que mulher.
    Passei alegrias e tristezas em minha vida.
    Ganhei quatro filhos, perdi dois.
    Tenho meus netos e bisnetos.

    Minha saúde não é mais como antigamente.
    Minha memória não é mais como antigamente.
    Meus olhos não vêem mais como viam.
    Meu corpo é rígido e difícil de locomover.
    E, em dias frios como hoje, fica ainda pior me mexer.

    Mesmo assim me levanto pela manhã, com ajuda da minha filha.
    Muitas camadas de roupa eu visto, como uma cebola.
    Um cachecol no pescoço e encolho os meus ombros ainda mais.
    Minha cadeira de balanço, colocada ao lado do fogão a lenha, me recebe.

    Chaleira chiando para o chimarrão quente.
    Leio o jornal: obituários e coluna policial.
    Assim descubro quem já se foi dos meus conhecidos.
    Mais uma acha de lenha para manter o fogo aceso.

    O Zico vem abanando seu rabo, mostrando alegria.
    Brinco com ele que se deita aos meus pés buscando o calor.
    Entre um serviço caseiro e outro, minha filha toma uma cuia.
    E conversa comigo sobre coisas diversas.

    O almoço se aproxima e logo mais minha neta chegará da escola.
    Tomo mais um mate e escuto a voz da minha filha chamando.
    Deixo vocês agora para ir lá fora caminhar no sol.
    Recomendações médicas.

    Depois do almoço, um banho e então dormir.
    Um café com pão ao acordar à tardinha.
    Ver televisão sentada ainda ao lado do calor do fogão.
    Mais lenha para espantar o frio da noite que chega.

    Meu corpo cansado de uma vida inteira vivida, pede mais cama.
    Boa noite a todos pois amanhã é outro dia.
    E esta é minha vida e meu cotidiano.



    Tema: Imagem e Texto


    Período de votação: 18/08 a 20/08


  2. 8 comentários:

    1. Cris Costa disse...

      Medéia,
      Escondendo o jogo, hein!?
      E dizia que não conseguia fazer poesia???
      Brincadeiras à parte, seu texto ficou magistral. Fiquei muito emocionada!!
      E a foto perfeita retratando o cotidiano.

      Ela é linda demais!!!!

      Parabéns!!!

      Bjs

    2. Lyani disse...

      O cotidiano bem representado com bela foto e lindíssimas palavras... bem família!
      Adorei!
      bjosss

    3. Vivi Bastos disse...

      Que pungente, Medéia!!!

      A foto e as palavras registram passado, presente e emoções como em um aconchego.

      Beijos

      Vivi

    4. Fernanda disse...

      Faço coro pros comentários das outras. Não só a bela poesia como a foto da mulher idosa com a chaleira ao fundo...fogão antigo...lindo trabalho!!Parabéns!

    5. disse...

      Foto maravilhosa
      Texto idem
      Casamento perfeito.
      Parece que já conheço sua avó, de tão real e emotivo que é o seu texto, Medéia.
      Lindo mesmo. Pura emoção.
      Um história de vida linda.
      Beijos para ela.
      Parabéns!

    6. me chamou a atenção a 4a estrofe. na construção, no subtexto, se destacou das demais. ah, e a foto ficou BEM bacana!

    7. Pacheco disse...

      Gostei desse estilo ( que não posso dizer se é novo...) mas acho que escrever sobre as experiecias próprias , sejam elas passadas, como no "Chuva de Verão", bem atraente e emocionante!
      Parabens!
      Eternizando o momento em um click!

    8. Mica disse...

      Aconchegante a descrição do presente com memórias do passado...
      Achei muito bonita e emocionante sua descrição. Beijos, Mica