Rss Feed
  1. Confissões

    18/02/2010

    Sabe quando seus pais dizem: “Cuidado com quem andas!”, se você for esperto suficiente, faça o que eles dizem. Eu que sempre me achei acima do bem e do mal, a mais esperta da turma, caí em uma cilada da qual me arrependo todos os dias, ou melhor, todas as noites.

    Há aproximadamente cinquenta anos, em uma festa da cidade, conheci o homem mais educado, divertido, muito pálido proporcionalmente rico, aquele tipo de homem que só se ouve falar em romances de banca, pois conhecer um de verdade é pura ilusão; então naquele instante achei que minha estrela tinha brilhado e que havia chegado a minha vez de ser feliz. Nunca tinha conhecido alguém como Marcel em minha tão pobre e sem graça vida. Fiquei alucinada. Daiane minha ex-melhor amiga (que Deus a tenha!) ainda disse: “Sol, cuidado! Quando a esmola é demais o Santo desconfia!”. Mas para mim, ela estava era morrendo de inveja da minha sorte.

    Resumindo, após um mês saindo com o até então príncipe encantado, na noite de doze de junho – “Não por mera coincidência!”, o safado dilacerou meu pescoço, me tornando uma morta viva, uma imortal, uma maldita vampira.

    O infeliz ainda me iludiu, falando com orgulho das vantagens de ser um vampiro: imortal, poderoso, sedutor, rico e belo. Explicou-me mais ou menos sobre a dieta restritiva e nunca mais nos vimos. Marcel desapareceu assim como desapareceu minha vida.

    Poder e riqueza são subjetivos. É claro que com o passar dos anos você adquire muito conhecimento e consegue entender como funciona o mercado de ações, quais as melhores aplicações, logo, mais dinheiro em conta. A premissa é verdadeira: “Dinheiro faz dinheiro”. Tenho empresas e muito dinheiro. Só que o que posso fazer com tanto dinheiro? Ir para o Havaí; Caribe, Ilhas Gregas...nem pensar! Não posso tomar sol e nem tenho amigos. Logo porque ter tanto dinheiro? Qual a graça e objetivo desse poder e riqueza?

    Sedução! Ah! Esse item é cômico. Adoro brincar de seduzir, contudo não é bem um jogo de sedução e sim pura hipnose. Basta fixar meu olhar no alvo e “Cabum! Tá no papo!”. O que acho chato porque tudo se torna muito fácil. E para piorar aprendi quando pequena que não se deve brincar com a comida, assim, a sedução nada mais é do que uma forma fácil de obter comida, porque convenhamos quem iria se encantar por uma pessoa magérrima, pálida e fria. Se você conhece alguém que goste, por favor, me passe o contato, pode ser celular, e-mail, MSN, qualquer coisa. Sabe, com o passar dos anos deixei os critérios de exigência de lado, só queria ter um “travesseiro de ouvido” de vez em quando e quem sabe alguém para viver eternamente comigo. Isso é quase que impossível, porque quando tento dizer para alguém o que sou, só ouço uma estrondosa gargalhada. Ninguém acredita!

    E por falar em comida...Como vida de vampiro é difícil! Alimentamos-nos exclusivamente de sangue, que infelizmente não encontramos a disposição nos supermercados. Matar pessoas e animais é instintivo, é primitivo e o pior é que não há como impedir essa ação, pois quando a fome chega ao extremo, perdemos totalmente a consciência e só se consegue pensar em sangue.

    Sortuda como só eu, adivinhe? Sou alérgica ao sangue tipo O positivo, fico toda embolada. Desta forma, sou muito seletiva. Pena que a alergia não pode me matar.

    O que posso dizer sobre ser bela? Lembro um pouco uma top model devido a minha magreza, mas isso é ser bela? Sou branca (lembra aquela maquiagem dos palhaços? Pois minha pele é assim), pálida, uma vez que só posso sair à noite, exposição direta ao sol é extremamente proibido. Não sinto sono ou cansaço, e tenho terríveis olheiras quando fico mais de três dias sem me alimentar. Ao me olhar no espelho vejo uma pessoa de aparência doente, pálida, magra e de olheiras. Isso é beleza?? Não creio!

    Como estou morta, minha pele é fria, muuuuuuuuuito fria. E pensar que antigamente reclamava quando meu irmão encostava as mãos frias em meu pescoço no inverno.

    Imortalidade é a coisa mais deprimente que existe na face da Terra. Já fiz zilhões de sessões de terapia e sempre sou dispensada quando proponho o seguinte exercício: “Feche os olhos e imagine VOCÊ vivendo eternamente? Eu disse só VOCÊ!”. Todos os seus familiares, amores e amigos vão envelhecendo e você sempre com a mesma carinha, sabendo que todos morrerão e VOCÊ ficará viva até que alguém lhe arranque a cabeça ou enfie uma estaca no coração. Sinceramente acho praticamente impossível, pois após cinquenta anos ainda não conheci nenhum caçador de vampiros. Aliás, ninguém acredita que existimos de verdade. Você acredita?

    Hoje ser vampira/vampiro está em alta, seja na literatura, quanto na televisão e cinema, mas não se iluda, todo aquele glamour é somente superficial, pois de tudo que se fala, analise o que realmente vale à pena.

    Perdoem meu desabafo, estou muito depressiva hoje. É óbvio que se conselho fosse bom não se dava e sim se vendia, mas tenho que deixar claro para as futuras gerações que ser vampira É UM SACO!. Por isso não entregue sua vida quente, alegre e mortal por uma estúpida ilusão.

    Ah! E se você conhece ou conhecer um caçador/caçadora de vampiros, informe meu e-mail. Vou ficar esperando, ok?
    ___________________________ Por: Cris Costa _____________________________

  2. 5 comentários:

    1. Medéia disse...

      eh eh eh
      A D O R E I !
      Lembra de um texto meu sobre Fotografia?
      Acho que meu vampiro ia gostar de conhecer sua vampira...
      Dois vampiros depressivos sentindo falta de suas "vidas".
      Sua vampira dava uma história ótima para competir com os vampiros da literatura atual.
      Beijão

    2. Vivi disse...

      Sardônica, não? Só você para desconstruir toda a mitologia vampiresca...hehehe
      E saiu do lugar comum...muito bom mesmo! Agora, cá pra nós, essa vampira tava como uma baita de uma tpm quando disparou esse desabafo...hihihi

      Beijos

    3. Maria disse...

      Muito engraçado e envolvente.
      Um chick-lit com certeza.
      Gostei bastante da forma que abordou o tema, lembrou um pouco a rainha Betsy.
      Parabéns

    4. disse...

      Bem humorado o texto. Só você, Cris!
      A sua vampirinha TPM..rs
      Gostei muito do lado irõnico e das tiradas sobre a condição de ser vampiro.
      Parabéns

    5. Lyani disse...

      Alergica a sangue tipo O! hahaha, amei! Ficou muito bom Cris e foi muito criativo. Uma vampira deprê!
      Bjossss
      Ly