Rss Feed

  1. por Medéia

    -Vem brincar comigo?

    - Eu não. Não brinco de bonecas, sou um menino.

    - Podemos brincar de carrinho.

    - Não mesmo, você é uma menina.

    - Mas então não podemos brincar juntos?

    - Claro que sim.

    - Que bom! Do que vamos brincar? De pega-pega?

    - Não.

    - De esconder então?

    - Não

    - De bola?

    - Coisa de menino.

    - De pintar?

    - Muito menininha para mim.

    - Mas afinal, do que podemos brincar?

    - De médico. 

  2. 7 comentários:

    1. Lyani disse...

      Hahahahaha! Boa sacada medéia, to rindo aqui! Bem coisa de menino mesmo. E de menina também, essa coisa da gente de se adaptar a tudo, aceitar qualquer brincadeira, o importante é se divertir :)
      Adorei. Bjos

    2. Mauricio kanno disse...

      Caramba! Vc eh genial!!!! Eu queria ter escrito esse txt! Do jeitinho q eu gosto! Puro dialogo, sem enrolacao, perfeito encadeamento, aparente inocencia... E surpresa! :D

    3. Medéia disse...

      Obrigada Ly, eu também achei graça.
      E criança é bem assim. Inocente e ao mesmo tempo com malícia.

      E Maurício, quando terminei de escrever e reli logo pensei em você. Achei mesmo que você ia gostar.

    4. disse...

      Adorei Medéia! Uma história tão singela quanto a brincadeira :)

    5. Vivi disse...

      Posso estar enganada, mas esse texto é algo diferente do que você tem feito. Os diálogos, se bem estruturados, dispensam a narrativa e transformam-se em adianto para os leitores. Gostei de vê-la exercitando esse caminho, Medéia. Ficou muito bom!

    6. Medéia disse...

      Pois é, Vivi, eu resolvi me aventurar... me inspirei no Veríssimo que é o mestre nos diálogos sem narração, e pensei em como ele escreveria este texto...
      E no que eu gostaria de ler e daria risada...

    7. Vivi disse...

      Impossível escolher inspirador melhor, Medéia. O tema pedia algo a la Veríssimo mesmo e você soube verter humor e inteligência para o seu texto com competência. E o resultado é brilhante. Bjs!